Partido segue na luta contra a Reforma Administrativa de Bolsonaro

Partido segue na luta contra a Reforma Administrativa de Bolsonaro

A bancada do Partido Socialista Brasileiro na Câmara dos Deputados fechou questão contra a aprovação da reforma administrativa proposta por Bolsonaro e que representa grande retrocesso, com grave repercussão para a população, principalmente a que mais depende dos serviços públicos de qualidade. Um exemplo relevante é o SUS – Sistema Único de Saúde.

Foto: Sérgio Francês/Câmara dos Deputados

Nossos parlamentares têm atuado diariamente para derrotar a PEC 32 e impedir que Bolsonaro, mais uma vez, retire direitos dos trabalhadores, ameace servidores e siga em sua escalada que faz o país regredir em todas as áreas.

Segundo o deputado Alessandro Molon, líder da Oposição e presidente do PSB-RJ, o partido defende uma reforma administrativa que melhore a eficiência e a qualidade do serviço público:

–  A PEC 32 representa o desmonte do serviço público, com contratação de temporários por até dez anos e liberação da terceirização – declarou.

About author

Partido Socialista Brasileiro
Partido Socialista Brasileiro 4 posts

Em 1947 o Partido da Esquerda Democrática transformou-se em Partido Socialista Brasileiro. Somente em 1986, com a redemocratização, o PSB voltou ao cenário nacional, quando realizou o primeiro encontro nacional do partido.

You might also like

Notícias 0 Comments

PSB, vários partidos e forças políticas convocam manifestações contra governo

Dia 2 de outubro, sábado, em todo o Brasil, vamos dizer mais uma vez #ForaBolsonaro! Viva a democracia e viva o socialismo! #psbrj

Agenda 0 Comments

Marcelo Freixo alerta: Eleições de 2022 no Rio serão batalha entre democracia e crime organizado

Sobre o escândalo envolvendo a prisão do secretário estadual de Administração Penitenciária do Estado do Rio de Janeiro, Raphael Montenegro, há, pelo menos, duas perguntas objetivas. Se o governador Cláudio

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!

Leave a Reply